Páginas

sábado, 12 de julho de 2014

O Inferno de Gabriel

Se há algo que adoro é ganhar livros. Lógico que gosto de ganhar tudo... Mas livro me parece um presente completo, porque carrega uma história a qual não conheço, portanto é mistério, surpresa, desafio... É como se ganhasse um amigo novo em que posso confiar, um companheiro em que posso me entregar por completo...

E como não se entregar a Gabriel? E não falo por ser um Apolo de olhos azuis, mas por tudo que ele consegue ser no decorrer da história.

O Inferno de Gabriel foi um presente da irmã da minha cunhada, Márcia, que é uma leitora apaixonada, que acompanha minhas postagens e compartilha desse amor, dessa entrega a uma boa história, a um bom livro. Obrigada!!!!!


O exemplar, como ela mesma descreveu, é intenso. Acho que não teria palavra melhor...

Trata-se da história de Julia e Gabriel. Ela, na juventude, tem uma paixão platônica por Gabriel, irmão de criação da amiga Rachel. O irmão era mais velho, desses que tem uma vida alternativa, que parece sozinho e, nessas condições, chega a ser um convite, mesmo sem que saber do que se trata.

Eles passam uma noite juntos em um jardim, e esse dia fica marcado, junto de uma foto que ela rouba. Entretanto Julia guarda muito mais do que uma lembrança... um sonho, por mais distante e inatingível, guarda no fundo da gaveta, longe dos olhos e ao alcance das mãos.


Passados uns anos, ele professor renomado especialista em Dante, ela sua aluna, tratada com frieza, indiferença, passando até por situações em que é humilhada diante dos demais. Ele não a reconhece ao passo que ela nunca dele se esqueceu.

Qual é o Inferno de Gabriel? Ele não morreu, o inferno é aqui, na vida, fruto de suas escolhas, de seu passado tão obscuro que vai nos assustando e também nos faz compreender seu modo frio de lidar com as pessoas, a prepotência, o esnobismo, e tudo que faz dele esse monstro que também chora, esse homem menino, esse medo que dele grita e o faz calar por tanto tempo.


Acredito que essa nova forma de abordagem de uma história com trechos picantes, intensos em meio ao romance acaba sendo uma tendência dos novos livros, desde que emplacaram os tais Tons de cinza que ainda não os li. Mas acredito que tenha se configurado como um caminho de sucesso para os demais adeptos.

Devo dizer que não se trata de uma baixaria, mesmo porque o livro é recheado de muita cultura que me fez pesquisar: pratos, lugares (porque sou curiosa... quero saber o que minhas personagens comem, que bebida é.... onde estão, qual a imagem que estão vendo....), além do vocabulário - muitos trechos escritos em italiano, espanhol, francês, que me fez buscar a tradução e rir toda vez que me deparava com um palavrão. Tão clássico! Tão mais bonito... e sem ironia.
Isso sem contar as músicas, as obras de arte, e o quanto mais eu compreenderia se mais soubesse da história de Dante e Beatriz.

Ao que me parece, os sujeitos estudiosos de Dante e Beatriz são, ao mesmo tempo, em seus sonhos mais secretos os protagonistas dessa história.

Fazendo uma breve pesquisa, vejo que tenho razão: Dante conheceu um tipo bem diferente de amor. Certa vez, passeando pela cidade, deparou com a figura angelical de Beatriz Portinari, filha de um rico burguês. Dante apaixonou-se de imediato - e para sempre. Começava ali o mais célebre caso de amor platônico na história. Dante jamais cortejou Beatriz, que já estava prometida a outro homem. Beatriz morreu aos 24 anos, vítima de uma doença súbita e indeterminada, e Dante passou as décadas seguintes dedicando seus sonhos e seus versos àquela semidesconhecida, com a qual não chegou a trocar, ao longo da vida, mais que um par de palavras. 

Faz todo sentido com a história. Nada mais é do que uma releitura, de uma transformação, uma forma de recontar a história trocando os papéis talvez...

Por que ler Inferno de Gabriel?




Pela intensidade de um romance...
E já dou continuidade à trilogia: O Julgamento de Gabriel, porque quero saber mais dessa história entre Julia e seu Dante.



O que o livro me fez pensar?


Nas voltas que o mundo dá, nas escolhas que fazemos, nas portas que fechamos, no preço alto e baixo que se paga por tudo que se faz, por ver que vale a pena esperar por aquilo que acreditamos, que o perdão existe, que é possível recomeçar, que nem tudo está perdido, e que a história não termina da forma com que acreditamos ou sonhamos, mas que pode ser, às vezes, muito melhor do que sequer nos permitimos imaginar.


SELEÇÃO DE TRECHOS...

"Você é linda. Como um anjo de olhos castanhos."

"No fundo, esperava que um dia ela se tornasse o que queria, que alguém a amasse. Algo mais corajoso. Algo feliz."

"O Real não é o que você é; é algo que acontece. E, nesse momento, você precisa que algo de bom lhe aconteça."

"Quando todas as pessoas no mundo acreditam numa coisa e você é a única que acredita no contrário, é muito tentador aceitar o ponto de vista delas."

"Não se preocupe. Você ainda vai ser feliz. Vai se apaixonar por um homem lindo e ele a amará tanto que o peito dele vai chegar a doer. Então vocês se casarão, terão uma filhinha e serão felizes para sempre. Na Nova Inglaterra, acho. Pelo menos a história que eu escreveria para você seria assim."

"Provar da maçã era saber, e agora ela sabia."



"Por que não pensar que às vezes, só às vezes, o mal pode ser vencido com o silêncio? E deixar que as pessoas ouçam quanto são odiosas com seus próprios ouvidos, sem nenhuma distração."

"Nunca sinta vergonha de aceitar um presente quando a outra pessoa não quer nada em troca."

"Ela havia passado a maior parte da vida esperando que coisas boas acontecessem, mantendo suas esperanças e sonhos em segredo. Mas logo chegaria o dia em que precisaria realizar alguma coisa."

"Ela nunca se perguntava por que coisas ruins aconteciam com pessoas boas, pois já sabia a resposta: coisas ruins aconteciam com todo mundo."

"Todos tinham uma experiência em comum: a do sofrimento. Ninguém deixava este mundo ser verter uma lágrima, sentir dor ou navegar pelos mares da tristeza."

"A sorte favorece os corajosos"



"O poder tem um efeito estranho nas pessoas."

"Tudo está em suas mãos. Você pode me salvar ou me exilar. Basta uma palavra. Ela pressionou o rosto no peito dele, perguntando-se se algum dia tivera escolha."

"Talvez agora não tivesse escolha, por já ter feito sua escolha antes."

"Muito do que nossa relação vai ser ou deixar de ser está em suas mãos."

"- Não acredito em contos de fadas.
- Eu gostaria de fazer você acreditar.
- A realidade é melhor do que a fantasia.
- Não se a realidade for a fantasia."

"Nem todas as cicatrizes marcam a pele."

"Quando eu digo nunca, quero dizer para sempre."

"Estar sem você é como suportar uma eterna noite sem estrelas."

"Se ainda acredita, deve ter esperança. Deve acreditar que a felicidade é possível para você também."



"Sempre que faço algo por você, estou tentando demonstrar o que não posso expressar com palavras."

"Se por algum motivo nos separarmos, quero que me espere. Prometo que a encontrarei."

"Cicatrizes nunca desaparecem. Feridas podem se fechar e talvez até sejamos capazes de nos esquecer delas com o tempo, mas as cicatrizes são para sempre. Nem mesmo Jesus perdeu as suas."

"- Não mereço você.
- Talvez nós não mereçamos um ao outro, mas posso escolher quem amo. E escolho você."

"Você está me dando o conto de fadas que eu nunca pensei que fosse ter. Por favor, não estrague isso."

Ele jamais a deixaria ir embora. Ele não se contentaria  em lhe dar menos do que a eternidade e o próprio inferno não conseguiria impedi-lo de manter sua promessa."

"O que nós temos é só nosso."

E assim termino mais uma postagem.
Fim de Copa do Mundo, fim de férias
Mas a vida segue para todo mundo,
e as leituras também!
Até a próxima!




2 comentários:

  1. Fiquei feliz que gostou!!! Prepare-se para se render ainda mais ao Gabriel!
    Ah, e leia 50 Tons, porque, ao contrário do que a maioria diz, não é (só) um livro erótico, mas uma linda história de amor, superação e autoconhecimento! Hahahaha, se gostou do professor Gabriel, vai tombar pelo Grey!
    Beijos e até a próxima resenha!

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei mesmo. Obrigada! Qualquer hora eu vou ler sim os 50 tons. Agora me entregar à trilogia... Pena que, com a volta às aulas, o ritmo da leitura não é o mesmo.

    ResponderExcluir